terça-feira, janeiro 20, 2009

3 Décadas

É hoje. Dia 20 de Janeiro de 2009. O mundo inteiro volta seus olhos para a América. Comemorações extendem-se por todos os continentes.  E nem estou falando da posse do Super Obama.


Estou falando do meu aniversário de 30 anos.
Sim sim. Hoje estou me transformando em um trintão. Três décadas de vida. À exatos 30 anos, um espermetozóide dourado cruzava os céus as águas da vida, ultrapassava todos os demais amigos e garantia meu futuro em uma casinha aconchegante e redondinha.

Morei ali por alguns meses. De uma simples célula, me transformei na mais perfeita máquina já construída: O Ser-Humano. Tá.... nem é tão perfeito assim esse tal de ser humano. Dores, arrotos, peidos e catarros. Não há nada de perfeito nisso. Mas vamos lá...

Ocupando espaço que só, percebi que aquela barriga já não atendia mais meus interesses. Flutuando há alguns meses em um líquido gosmento e me alimentando de outras gosmas, resolvi partir pra briga e reinvidicar meus direitos.

Ahhhh... a luz nos olhos, a sensação de ficar pendurado de cabeça pra baixo e o frio da balança. Isso é que é vida. Peito, mamadeira, papinha, cocô na calça e dormir. Aquilo sim era o que queria pra mim. Logo vieram as escolas, as professoras tias os deveres de casa. As notas vermelhas, os castigos, a recuperação. Tirar carteira, beijar as coleguinhas, e sempre, láááááá na frente, um tal de vestibular.

Quer dizer que agora tenho que decidir meu futuro profissional??? Mas eu só tenho 16 anos, oras! Azar o seu. Provas, reprovações e aprovação. Trote, ovos, cadê meu cabelo? Putz! Mudanças, decepções, alegrias, farras, tristezas, farras, estudos.... onde isso vai parar? Parou numa tarde, dentro de uma sala, fazendo dinâmica de grupo para o primeiro emprego.

Segundo emprego, terceiro, quarto.... nem sei mais. Salários, poupança, gasto, compras. Grandes decisões, namoro, brigas, alegrias, muitas.... farras, cobranças, dinheiro, mercado, concorrentes, demissões.

Trinta anos atrás, aquele minúsculo espermatozóide nem imaginaria que aquela correria doida pra chegar em primeiro, foi só a primeira das eternas batalhas que existem pela frente. E não há indícios que elas terminem tão cedo.

Irão até o suspiro final, até o momento em que toda a batalha será deixada para trás. Toda a luta, todas as derrotas e conquistas não mais farão sentido. Tudo terá sido uma mera distração para os dias vividos. Tudo terá sido em vão. Mas cada segundo terá valido a pena para deixar aquele espermatozóide com orgulho do que se transformou.

Um comentário:

Tiago Setti disse...

Parabéns carnaval!!!
As palmas para seu aniversário ecoaram por toda a empresa nesta manhã!!